<

O que Você Sabe Sobre o Azeite?

Não sou profunda conhecedora de azeites, mas acho que existem alguns mitos que derivam da falta de informação. 
Primeiramente ele não é menos calórico do que outros óleos. Mas saudável sim, mas em termos de calorias ele engorda tanto quanto qualquer óleo.
Os óleos vegetais prensados a frio são mais saudáveis. Mas o que significa o termo prensado a frio
Significa que não foi submetido a altas temperaturas para se obter o produto final.
E o que significa ter sido submetido a altas temperaturas?
As altas temperaturas oxidam os óleos vegetais e consumir óleos oxidados cumulativamente origina uma série de problemas no nosso organismo, incluindo alterações celulares e hormonais. Muitos óleos vegetais além das altas temperaturas, utilizam solventes no processo de extração e todo esse resíduo fica passeando no nosso corpitcho meu povo!

O que quer dizer o termo “extra-virgem” na nomenclatura do azeite? 
Significa que foi obtido na primeira prensagem, por isso é mais saudável. O que acontece é que esse azeite extraído da primeira prensagem tem uma aparência turva, opaca, com micro partículas das azeitonas e o consumidor confunde essa aparência com algo “impuro” e por conta disso as empresas produtoras filtram o azeite. Só que nesse processo de filtragem muitas vitaminas e antioxidantes se perdem, por isso se tiverem oportunidade de comprar um azeite extra-virgem não filtrado é a melhor opção. Eu sei que existe das seguintes marcas:  Villa Milena, Colavita e Paganini (se alguém conhecer outros por favor coloque nos comentários).
Outro aspecto importante de se analisar na compra do azeite é a data de fabricação. Porque quanto mais tempo se passar entre a compra e data de fabricação maior chance de comprar um azeite oxidado. Mesmo o azeite extra-virgem pode oxidar dependendo das condições de armazenamento que foi submetido desde a saída do país de origem até a chegada no estabelecimento de venda. Portanto, escolha o que tem a data de fabricação mais recente.
Bom colegas, eu poderia estender esse papo azeitístico por mais uns 5 posts, mas vou parar por aqui e contar com a colaboração de vocês nos comentários. Quem tiver uma dica boa sobre o tema, por favor, vamos partilhar que dividindo a gente soma! 
Bom feriadão!!!

Foto: Getty Images

22 comentários abaixo sobre O que Você Sabe Sobre o Azeite?

  • Avatar Ivan Sóstena disse:

    Um azeite não filtrado com preço acessível e de boa procedência é o Verdenzo , importado e vendido c/ exclusividade pelo Carrefour ( + ou – 20,00).Uma dica válida é proteger o azeite em vidro – do excesso de luminosidade – envolvendo o vidro com uma folha de papel alumínio , alem de que, evita excessos térmicos.
    Ivan

  • O grau de acidez do azeite não interfere no sabor. O grau de acidez determina a quantidade de ácidos graxos que o azeite possui.

  • Avatar Juliana disse:

    Tati, uma vez escrevi sobre a "virgindade" dos azeites, mas relendo agora, o foco do texto foi a acidez… Ajuda a responder a pergunta que o Jotta e a Rosley fizeram acima… Beijão
    http://jusempressa.blogspot.com.br/2010/07/tomates-assados-com-manjericao-e.html

  • Avatar agleet disse:

    GOSTO MUITO DE AZEITE. POR ISSO PESQUISEI MUITO NA INTERNET E APESAR DE VC DIZER QUE NÃO ENTENDE MUITO DE AZEITES A SUA EXPLICAÇÃO FOI A MAIS COMPLETA QUE ENCONTREI.OBRIGADO. MARCELO

  • Avatar Natalia Cesco disse:

    O azeite quando aquecido, usado em pratos culinários se transforma em gordura trans. Pois é. Fiquei muitíssimo triste quando minha prima, nutricionista, me deu uma bronca ao me ver cozinhando feliz da vida com um azeite extra-virgíssimo… =(

  • Avatar Renata disse:

    Oi, Tati, tem um azeite que eu e meu namorado somos fãs, se chama Il Grezzo e tem um aroma e sabor deliciosos, fora que vem numa garrafinha linda q tem aparecido em vários blogs gringos 😉
    Na primeira vez, até decidimos provar pq ele era meio turvo (eu já tinha lido sobre esse lance de filtrar e tal) e depois vi no rótulo que ele não é mesmo filtrado. Tem no Zaffari. Bjs

  • Avatar Elaine disse:

    O que sei, além das calorias (calorias boas diga-se de passagem), e outras vantagens é que o azeite extra virgem não pode ser submetido a altas temperaturas, e que o grande produtor de azeite é a Espanha-Andaluzia (de onde vovó veio..rs).

    Abraços,

    Elaine

  • Avatar cami ronchi disse:

    Oi Tatiana!
    Não sei se alguém já comentou nos comentários acima, mas sempre tenho uma grande dúvida. Azeite de oliva, pode ou não pode ser utilizado para fritura? Por exemplo, para dourar a cebola.
    Bejinho!Adoro teu blog!

  • Avatar Anônimo disse:

    Oi Tati. Sou estudante de Nutrição e adorei o seu post sobre o azeite, que realmente possui propriedades funcionais, ou seja, além de nutrir desempenha atividades extras no nosso organismo. Por exemplo, auxilia no aumento dos níveis de HDL-colesterol, o famoso colesterol bom. Vale lembrar também que além da data de validade é melhor comprar o azeite com recipientes escuros ou em latas, pois a luz também oxida esse óleo tão sensível. Fazer em casa a conserva de alho e azeite é unir o útil ao agradável, pois o alho também possui propriedades antioxidantes, auxiliando na redução da pressão arterial, além do gostinho maravilhoso que deixa na preparação. Seu blog está cada dia melhor… Bjos, SARA

  • Oi Tati, a mulherada fica mesmo preocupada com essa história de azeite e calorias. Eu já sabia que ele é supercalórico, mas não sabia da filtragem. E também achei legal a dica da data de validade. Beijos

  • Adoro azeite, mas depois que descobri que cada colher contém 100 calorias desanimei…
    Bjs,

  • Avatar Eliane disse:

    Tatiana, amei o post… amo azeite, mas entendo pouco sobre ele…
    Só sei que compro azeite extra-virgem e com menor acidez… mas não sabia da questão da filtragem… ficouadica!
    Tenho uma dúvida: uns dizem que ao aquecermos o azeite ele se transforma num óleo qualquer… poderia explicar?
    bjs bjs
    http://www.larfamiliaecia.blogspot.com/

  • Avatar cnobrega disse:

    Oi, Tati! Não sei se você conhece, mas o Grupo Bolsa de Mulher tem uma central de cursos online, a universidade feminina. As usuárias podem fazer os cursos de make, culinária light e muitos outros, tudo de graça, só precisando se cadastrar!
    No início do ano colocamos no ar o curso Clube do Azeite, que explica sobre as diferenças dos azeites, propriedades e dá várias receitinhas legais.
    Enfim, #ficaadica! 😉
    http://www.bolsademulher.com/cursos/

    bjs,
    Cecilia Nobrega

  • Li sua matéria sobre o navegador. Descobri que alguns sites funcionam bem com um e outros sites com outro. Sites de banco, pelo menos comigo, só no I.E. Com os blogs, tudo bem em qualquer um.
    Orkut somente como o Chrome. E assim vai.
    Adorei seu blog.
    Beijo no coração

  • Avatar Nina Morais disse:

    Ah, e quando vem algum parente meu de Portugal, entre tantas coisas gostosas (pastéis de Belem, de feijão, queijadas, alheiras…) sempre traz um ou dois litros de azeite artesanal – que a alfândega não leia isto.
    É maravilhoso…

  • O grande problema que eu vejo em relação aos azeites extra-virgens é: dá para acreditar nos graus de acidez que constam dos rótulos? Normalmente, quanto mais baixo, mais caro. Agora, qual é a diferença entre um com acidez máxima 0,5 e outro de 0,2 além do preço? O sabor? É um assunto bem complexo. Abraços!

    • Avatar Pedro Cunha disse:

      Jotta e Rosley, concordo com vocês, não dá pra acreditar no que está escrito nos rótulos. Não há controle rígido sobre isso em lugar algum. Quanto ao grau de acidez, só é sinal que todas as fases do processo de produção foram realizadas adequadamente e para classificar um azeite como virgem, extravirgem, etc. Quanto ao sabor, o seu gosto pessoal vai te dizer se um azeite de acidez 0,6% é melhor ou pior que um de 0,3%. Além da acidez, há várias outras características que comporão o perfil de um azeite. Mas seu gosto pessoal tem que prevalecer sempre.

  • Avatar Jana!!! disse:

    Oii… Muito bom aprender mais sobre azeite…Sempre fico ligada na acidez, e realmente da diferença…

    Tenha um ótimo feriadão..
    bjim
    Jana
    http://janainamechi.blogspot.com

  • Avatar Nina Morais disse:

    Legal você chamar a atenção para a equivalência em calorias e a superioridade em qualidade nutricional. Muitos costumam confundir isto.
    Agora, o que eu realmente sei sobre o azeite, é: amo, amo e amo!!!
    bjs

  • AMOOOOOOO azeite como todo bom árabe…nas minhas receitas quando posso eu substituo…e tem muitos mitos e verdades a respeito do azeite não é mesmo tatiana???? mas gostaria de sugerir umas receitas para crianças que não gotam de comer verduras ..o meu davi ammmmmaaaaa o gabriel nem chega ´perto já teve até anemia …vc pode ajudar as mamães aflitas ??
    bjus

  • Olá Tatiana. Achei ótimo o seu post. Eu quando compro azeite, procuro sempre o extra-virgem com acidez mais baixa. Pelo que andei pesquisando, quanto mais baixa a acidez é um indicativo de que o fruto foi bem tratado no momento de sua extração, a fermentação foi feita adequadamente e as variações de temperatura foram controladas. Então funciona como um determinante da qualidade.

    Gostaria de te sugerir um tema. Que tal falar sobre combinação de temperos e comidas. Gosto muito de usar ervas na comida mas as vezes não sei bem com que prato combiná-las. Se achar que vale um post, vou gostar bastante.

    Beijos pra vc e ótimo fim de semana.

  • Avatar Anônimo disse:

    Tati eu sempre ouvi dizer que a acidez deve ser a menor possível, menor que 0,8%.
    Bjs
    Laura