Um Ano de Paz e Luz para Todos!

O ano de 2017 não foi fácil, especialmente para nós brasileiros. Vi muitos amigos perderem empregos, ficarem abatidos com preocupações financeiras, enfim, ano de crise é sempre complicado. Mas hoje vou me dar a liberdade de falar um pouco do MEU ano de 2017.

Eu tive que aprender a ser mãe. Não planejei, aconteceu por motivos que um dia em que eu estiver inspirada eu conto porque a história é longa.
Hoje minha filha é o pilar central da minha vida, meu norte, meu tudo, mas como é difícil gente! É uma nova vida que requer adaptação. Uma mãe precisa nascer de novo!

Graças a Deus tenho um parceiro na vida que divide todos os fardos comigo. Na minha rotina somos eu e o Marcelo. Só. Só nós dois. Cuidamos, da casa, do trabalho e agora da Lis. Eu poderia ter uma babá, colocar a Lis na escola, mas optamos por cuidar dela integralmente até que ela tenha pelo menos 3 anos. Não me arrependo, mas realmente não é fácil!

Se eu relativizar, sei que não posso reclamar de nada. Temos saúde, então temos tudo, mas abrindo meu coração posso dizer que a maternidade sem dúvida é o papel mais difícil que vou desempenhar durante a vida.

Eu ainda não consegui me organizar como profissional, como mulher, como um ser social. Neste ano que passou eu não consegui fazer as unhas mais do que 4 vezes, nem cortar o cabelo, nem entrar numa loja e comprar uma roupa com calma. Não consegui sair NENHUM dia só com meu marido. Perdi alguns compromissos de trabalho porque a logística com a Lis é complicada. Fiquei mais pobre, mais cansada, com varizes e celulite.

Por outro lado, vivi momentos que nunca pensei que viveria e sou muito grata por isso. Acompanhar o crescimento de uma criança é algo mágico. Saber que tudo que ela vai experimentar nos primeiros anos você é quem vai proporcionar é algo inexplicável.

Ser mãe é uma doação constante. É não ter mais domínio algum sobre a própria vida. Você faz planos de viajar e no dia seu filho amanhece com febre. Dane-se as passagens de avião, a reserva do hotel. Não vamos mais!
Você planeja almoçar num restaurante bacana e naquele dia seu filho resolve que não vai ficar sentado na cadeirinha. Ok, vc almoça sozinha enquanto seu marido distrai a criança e depois inverte os papéis. E assim a vida segue. Num novo desenho, numa nova rotina, num looping de fazer inveja a qualquer montanha russa.

Com todas as dificuldades, entendo que esse é um aprendizado que nos faz pessoas melhores. Hoje eu quero ser uma pessoa melhor. Pela minha filha, pela minha família.
Hoje as coisas que me fazem sorrir são bem mais simples, são pequenos momentos no meio da rotina, como uma palavrinha nova que ela fala, uma dancinha que ela faz no espelho, uma flor que ela me oferece com aquela mãozinha minúscula, o dentinho novo. Enfim, é bom resgatar o valor das pequenas alegrias.

Eu não poderia deixar de me despedir de 2017 e não poderia deixar de falar da maternidade.
Muito obrigada pela “companhia” de vocês. Obrigada de verdade, do fundo do coração!!!!
Que vocês tenham um ano repleto de alegrias e vitórias!!!! Obrigada pela compreensão durante esse ano. E que em 2018 eu tenha tempo de dividir mais com vocês a minha rotina, como em outras épocas do blog eu fazia mais ativamente. Sinto tanta falta!

Beijos queridos! Muita paz e Luz para todos vocês!